Liga-nos hoje mesmo +244 935 907 501 - 994 847 974

MARÇO MULHER: DORES MENDES, CHEFE DE DEPARTAMENTO DE APOIO AO DG DO INP FALA SOBRE O PAPEL DA MULHER

Publicado:: 25/03/2019 | 58 Visualizações

Para o mês em curso, o nosso portal elegeu Dores Mendes, como mulher de mérito, para falar sobre o seu dia-a-dia na instituição em que trabalha à 25 anos. Simpática e sorridente, esta benguelense de gema, com raízes no Cuanza-Sul, fala em entrevista, sobre o seu percurso na adolescência, no serviço e nos tempos de escola, faz uma incursão sobre a vida da mulher angolana e o seu papel na sociedade. Convido, pois, o caro leitor, a acompanhar, nas linhas que se seguem, esta suculenta entrevista. Portal INP- Dores Mendes, fala-nos um pouco sobre a sua vida no seio familiar e profissional? Dores Mendes (DM) - A minha vida foi sempre como a de qualquer mulher. Desde a minha adolescência, fui sempre extrovertida e interactiva, tive sempre muitas amizades, até porque, na altura, praticava desporto, na modalidade de basquetebol. Também já fui dançarina e claro, mesmo com estes passatempos, nunca abdiquei-me da escola, fui sempre avançando e hoje sinto-me uma mulher formada, pois sou, licenciada em Psicologia. Portal INP- Será que está conformada com esta licenciatura ou ainda pensa continuar para outras especializações? DM- Penso continuar a estudar, pois nunca é demais, mas, neste momento, prefiro capacitar-me profissionalmente e dar prioridade a um investimento maior que é a formação dos meus filhos. Fiz algumas formações complementares, como em matéria de Secretariado Executivo de Alto Nível, Técnicas de Expressão Oral e Redação de Documentos, Organização de Eventos, Liderança no Contexto Actual e outras de menor relevância, mas penso fazer mais, em prol do meu desenvolvimento profissional. Portal INP- Essa entrevista circunscreve-se ao mês da mulher, para si o que é ser mulher? DM- Considero mulher, aquela que abraça, com amor, o compromisso de cuidar dos filhos e o seu doce lar. É desdobrar-se em mil e um gesto, superar-se e reinventar-se. Não temer desafios, conquistar o seu espaço e lutar, permanentemente, por igualdade. É acordar de bom humor e agradecer a Deus. Portal INP – Como avalia a posição das mulheres em detrimento dos homens? DM- Acho que o engajamento das mulheres caminha de vento em poupa, apesar de terem as mesmas potencialidades que os homens, a mulher pensa e se emociona de forma distinta. Ambos são capazes de raciocinar e desenvolver talentos, o que os diferencia é o seu modo de ver e interpretar sensações e informações. O homem é mais focado e objetivo. No dia em que se consolidar este entendimento, de que somos todos parte de uma unidade maior e que gêneros diferentes são complementares e não opostos, teremos, sem dúvida, um mundo melhor. Portal INP- Qual o papel da mulher na perspectiva do empoderamento? DM- A mulher, deixou de ser unicamente dona de casa, mãe e esposa, hoje conquistamos o nosso espaço, procuramos profissionalizarmo-nos e estamos em todos os sectores da vida social, politica e económica, exercendo funções que antes eram só executadas por homens, por exemplo, no domínio das tecnologias de ponta e no da ciência, hoje temos mulheres tripulantes de aeronaves e noutras profissões mais complexas. Os homens, a pouco a pouco, vão compreendendo, mas, o facto de terem compreendido, não significa que todos estão de acordo com todas estas mudanças. Portal INP- Lidera um Departamento que integra mais mulheres do que homens, como tem sido o ambiente de trabalho e como avalia as mulheres do INP? DM- Vejo as mulheres do INP como mulheres com muita força interior, que as permite trabalhar com competência e superar os obstáculos. Não é fácil, nem tão pouco difícil, temos sido profissionais e cada uma dá o seu melhor. Em situações menos simpáticas porque é normal que aconteçam, busco o equilíbrio entre a razão e a emoção, sem abafar sentimentos ou demonstrar fragilidades. Fora deste contexto, prefiro reconhecer as feridas e trazer recursos para o poder da Auto Cura. Portal INP- Nos últimos anos, o país tem vindo a conhecer casos de violência contra a mulher, que abala a nossa sociedade. Como tem estado a encarar esta situação, nas vestes de mulher que é? DM- De facto, tem sido muito triste, o que se tem estado a assistir em Angola e para acabarmos com essas situações que podemos considerar de pouca vergonha, os homens devem mudar de comportamento e as autoridades têm o dever de responsabilizar os infractores. Portal INP – Qual é o seu maior defeito e a sua maior virtude? DM- Defeito, esperar e procurar algo sem saber aonde encontrar. Virtude….Conscientizar-me da realidade que vivo, dimensionar as possibilidades que tenho e realizar aquilo que está ao meu alcance. PERFIL: QUEM É ESSA MULHER? Dores Mendes, angolana descendente de pais santomenses, Domingos do Rosário Mendes e Domingas Soares Lopes Pereira de Lima Mendes. Natural de Benguela, nascida em 1973, é mãe de 4 filhos, reside no Sumbe, é Licenciada em Psicologia e trabalha há 25 anos no Instituto Nacional de Petróleos. Exerce actualmente as funções de Chefe de Departamento de Apoio ao Director Geral.

Choose Colour